Loading...

terça-feira, 29 de abril de 2014

CLAMOR DO POVO " PCCR QUE ATENDA AS NECESSIDADES E VALORIZE O TRABALHADOR"

SERVIDORES, SINDICALISTAS E VEREADORES DISCUTEM PLANO DE CARGOS E CARREIRA NA CÂMARA


pres. da camara Mario Cesar 


Representantes de diversas categorias discutiram, na noite desta terça-feira, o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores do Poder Executivo Municipal. Em regra, eles cobraram maior participação dos servidores na elaboração do projeto, além de valorização aos trabalhadores por parte da Prefeitura. O debate foi convocado pela Mesa Diretora da Câmara Municipal de Campo Grande.
 
“Sugiro que o Plano seja votado por servidores. Vamos fazer uma votação e saber qual o servidor quer o Plano. A maioria deles não conhece. O Plano de Cargos tem que vir debaixo para cima, e não o contrário. Plano que é elaborado pelo Executivo e jogado para nós, ninguém quer. Eu descarto. Se não houver alteração no salário, também não serve”, disse a servidora da Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos e Delegados), Mara Correia Lima.
 
A audiência reuniu servidores ligados à saúde, educação, segurança pública e outras áreas. Segundo o vereador Mario Cesar, presidente da Câmara Municipal, o objetivo da audiência foi subsidiar o Executivo para que ajuste o Plano de acordo com a necessidade do servidor público municipal. 
 
“Nós temos que fazer com que essa roda gire, mesmo sabendo que é prerrogativa do Executivo. Tenho clareza da ansiedade de todos. Com o servidor melhor tratado, o resultado é bom para todos. Temos que ter vontade estar no nosso trabalho para que as coisas fluam da melhor forma possível. Com vontade política, a gente consegue fazer as coisas. A proposta da audiência é despertar a vontade política, o espírito de corpo. Quem ganha com isso é o munícipe”, destacou.
 
Técnico de Controle Interno da Prefeitura e presidente do Conselho do Centro, João Eulógio também cobrou valorização ao servidor. “Depende do Executivo, e o Legislativo vai nos dar apoio. Quando se fala em servidor municipal, falam: ‘vai encher a folha, vai ficar pesada’. E a nossa qualidade de vida? Todo dia eu sonho que vou ter um trabalho digno na prefeitura”, afirmou.
 
Segundo o servidor Alberto da Costa Neto, hoje, o servidor público municipal é “esmagado” em Campo Grande. “Daqui, tem que sair, aproveitar, trocar telefone, deixar para lá o que fizeram conosco. Se o servidor está organizado, ele tem que ser respeitado. Ele é cobrado pela população e não é valorizado pelo Executivo. Só vamos evoluir quando todas essas categorias se unirem”, sugeriu.
 
Ligado à Semed (Secretaria Municipal de Educação), o servidor Jorge Dantas pediu respeito ao trabalhador. “O funcionário administrativo é jogado de um setor para o outro sem qualquer treinamento e orientação. Queremos respeito com o trabalhador, independente do setor, seja educação, saúde ou outros. Se a gente não adequar esse Plano para valorizar a respeitar o servidor, não vai adiantar nada”, finalizou.
 
Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal 
postada em 29/04/2014 22:38 - 

Nenhum comentário:

Postar um comentário